quinta-feira, 24 de maio de 2012

PROVINHA BRASIL

As escolas da rede estadual de educação encerraram nesta quinta-feira, dia 23 de maio a aplicação da PROVINHA BRASIL  nos 2º anos. Foram aplicadas provas de Língua Portuguesa e Matemática para analisar a aprendizagem dos alunos, e com os dados coletados e as informações produzidas permitiram a revisão do planejamento e o estabelecimento de metas, além das adequações das estratégias de ensino de acordo com as necessidades dos alunos( diagnose inicial).



segunda-feira, 21 de maio de 2012

Formação de matemática do 6º ao 9 ano



ESTADO DO ACRE

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E ESPORTE

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO DE TARAUACÁ

PLANEJAMENTO EM MATEMÁTICA DE 6º AO 9º ANO – 2º BIMESTRE
RELATÓRIO
                Entre os dias quatorze e dezoito de maio de dois mil e doze, realizei o planejamento com os professores de matemática do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, para as atividades do 2º bimestre do ano letivo. O planejamento foi realizado com os professores e os coordenadores de cada escola individualmente segundo o cronograma abaixo:
DATA
HORARIO
ESCOLA
14/05/2012 (Segunda-feira)
15h00min (Tarde)
Instituto São José
15/05/2012 (Terça-feira)
14h00min (Tarde)
Tupanir Gaudêncio
16/05/2012 (Quarta-feira)
08h00min (Manhã)
Rosaura Mourão
16/05/2012 (Quarta-feira)
19h00min (Noite)
Plácido de Castro
17/05/2012 (Quinta-feira)
14h00min (Tarde)
Delzuite Barroso
18/05/2012 (Sexta-feira)
09h30min (Manhã)
Edmundo Pinto
                 O objetivo deste planejamento foi o estudo do plano de curso de matemática,  baseado nas orientações curriculares do Estado do Acre. Através deste estudo, procurei estabelecer uma conexão com o livro didático, adotado por cada escola e os referenciais curriculares do SEAPE/SAEB. Além de propor atividades complementares, com o material do nivelamento e os cadernos do GESTAR II.
                Alguns professores ainda demonstraram certa dificuldade em compreender os objetivos apresentados no plano de curso, pois estavam acostumados a utilizar apenas o livro didático como norteador dos conteúdos a serem trabalhados em cada série/ano. Com este planejamento, os docentes tiveram a oportunidade de analisar estes objetivos e identificar as atividades que os contemplam no livro didático, observando ainda qual o tema e o descritor que seriam avaliados pelo mesmo.
                A proposta foi apresentada em forma de tabela com o seguinte formato:
PLANO DE CURSO
LIVRO DIDÁTICO
MATRIZ DE REFERÊNCIA
GESTAR/NI
VELAMENTO
OBJETI
VOS NO PLANO DE CURSO
[Capaci
dades]
CONTEÚDO NO PLANO DE CURSO
[O que é preciso ensinar explicitamente ou criar condições para que os alunos aprendam e desenvolvam as capacidades que são objetivos]
CONTEÚ
DO NO LIVRO DIDÁTI
CO
TEMA
DESCRITOR
PROPOSTAS DE ATIVIDADES
Resolver situações problema que permitam utilizar as regras do sistema de numeração decimal, ler, escrever, comparar, ordenar e usar arredondamento de números naturais de qualquer ordem de grandeza, inclusive os escritos abreviadamente com vírgulas, reconhecendo relações e regularidades.

Resolução de situações-problema, considerando as diferentes funções do número natural de qualquer ordem de grandeza que aparecem no contexto social.
Resolução de situações-problema, considerando as diferentes funções do número natural escritos de forma abreviada que aparecem no contexto social.
Reconhecimento de ordens e classes na escrita numérica de números naturais de qualquer ordem de grandeza.
Leitura e produção de escrita, comparação e ordenação de números naturais de qualquer ordem de grandeza pela compreensão e utilização das regras do sistema de numeração decimal (SND).
Localização de um número natural na reta numérica
Reconhecimento de múltiplos e divisores de um número.
Reconhecimento de números primos e de números compostos.

Livro – Tudo e Matemática – Dante – 6º ano – pg. 08 a 38.
III. Números e Operações/Álgebra e Funções
D19 – Resolver problema com números naturais, envolvendo diferentes significados das operações (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação).
Nivelamento 6º ano pag. 1 a 8.
                Os professores relataram que este material está contribuindo de forma significativa em seus planejamentos escolares, auxiliando na elaboração das sequências didáticas e contribuindo para sancionar as dificuldades apresentadas.
                Os coordenadores mencionaram que também estão utilizando o material no acompanhamento dos objetivos do plano de curso de matemática, uma atividade que antes era bastante complexa, principalmente para os que não são formados na área.
                Com a visível carência de profissionais com experiência docente, espero que, com a produção deste material, possamos desenvolver uma ferramenta que sirva de apoio para o planejamento escolar, contribuindo assim para a melhoria do ensino da matemática em nosso estado.


Tarauacá – Ac, 21 de maio de 2012.

Rogério Lopes Craveiro
(Formador)


sexta-feira, 18 de maio de 2012

Formação com os professores do 1º ao 5º ano

Nos dias  16 e 17  de maio foi realizado um encontro com os professores do 1º ao 5º ano das escolas João Ribeiro, Instituto São José e Delzuite Barroso para estudo da sequência do Caderno 04.




























 

Formação com os professores do 1º ao 5º ano.


DATA: 08 de maio de 2012.
HORÁRIO: 19 horas.
CARGA HORÁRIA: 4 horas
FORMADORAS: Arlete Neri de Albuquerque
                              Vicencia Reginaldo de Moura
                              Maria Gecilda de Oliveira Saboia
                             Terezinha Maia Veras
           
CONTEÚDOS:
*    CONTEXTOS DE ALFABETIZAÇÃO:
  • Leitura em voz alta pelo professor;
  • Leitura pelo próprio aluno;
  • Texto oral com destino escrito;
  • Produção escrita pelo aluno.
*    Concepções de ensino e aprendizagem: Empirismo e Construtivismo.
*    Situações de aprendizagem dos Referenciais Curriculares;
*    Matrizes de Referência do SEAPE.

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM:
As expectativas de aprendizagem da formação se apresentam no sentido de que os professores:
*    Reflitam sobre os contextos de alfabetização: leitura em voz alta pelo professor, leitura pelo próprio aluno, texto oral com destino escrito e produção escrita pelo aluno;
*    Discutam sobre os indicadores de qualidade dos contextos de alfabetização;
*    Reflitam sobre as concepções de ensino e aprendizagem adotadas por eles no processo de alfabetização;
*    Analisem propostas de atividades contidas nos Referenciais Curriculares relacionadas aos eixos: Leitura pelo professor, Produção de textos, Escrita pelo aluno e Leitura pelo aluno;
*    Analisem atividades de Compreensão Leitora apresentadas em Livros Didáticos, identificando, nos Referenciais Curriculares, as capacidades e os conteúdos e/ou propostas de atividades que dialogam com as referidas atividades.
*    Respondam um bloco de atividades e identifiquem que descritor/habilidade (segundo a Matriz do SEAPE) a questão exige do leitor, refletindo sobre as situações de aprendizagem que contribuem para o desenvolvimento dessas habilidades pelos alunos.

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS
1º MOMENTO
*    Acolhida;
Leitura do texto: “O grande e pequeno “ de Adriana Falcão.
*    Apresentação dos objetivos e conteúdos da formação

2º MOMENTO:
Levantamento prévio de questões importantes para o desenvolvimento das atividades. (ANEXO 1)
·         Quais as principais dificuldades enfrentadas pelas crianças em relação à leitura e ao desenvolvimento da compreensão leitora?
·         Como é trabalhada a produção textual nos anos iniciais? E a revisão textual, como é realizada?

  • Como vocês utilizam os Referenciais Curriculares de Língua Portuguesa? Conseguem encontrar boas situações de aprendizagem nesse material?
  • Como se dá o trabalho com o Livro Didático? Vocês analisam as situações de aprendizagem antes de aplicar as atividades?
  • Qual é a importância que se dá na escola ao trabalho com os descritores/habilidades das Matrizes do SEAPE?
 3º MOMENTO:
*    Leitura do texto: “Ideias, concepções e teorias que sustentam a prática de qualquer professor, mesmo quando ele não tem consciência delas, de Telma Weisz. In O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo. Ática. 1999. (ANEXO 1)
                                                       
*    Discussões sobre as concepções de ensino e aprendizagem.
· Identificar como o aluno aprende e como é possível ensinar na concepção empirista e construtivista.
4º MOMENTO:
Fundamentação Teórica
*    Leitura colaborativa do texto: “O PROFESSOR: UM ATOR NO PAPEL DE LEITOR.”  ANEXO-3
5º MOMENTO:
CONTEXTOS DE ALFABETIZAÇÃO:
Ø Discutir sobre quais as situações didáticas que o professores utilizam para contemplar os eixos abaixo:
  • Leitura em voz alta pelo professor;
  • Leitura pelo próprio aluno;
  • Texto oral com destino escrito;
  • Produção escrita pelo aluno.
6º MOMENTO:
*    Texto “INDICADORES DE QUALIDADE CONTEXTOS DE ALFABETIZAÇÃO: Leitura em voz alta pelo professor, Leitura pelo próprio aluno, Texto oral com destino escrito e Produção escrita pelo aluno.
 7º MOMENTO
*    Formação de grupos para Análise de Atividades de Compreensão Leitora apresentadas em Livros Didáticos do 3º e 4º ano:
  • Escolher uma atividade significativa de compreensão leitora e justificar o porquê de ser considerada uma boa atividade.
  • Socialização dos grupos:
1. Apresentação do livro;
2. Leitura do texto;
3. Leitura das questões de compreensão;
4. Justificativa da atividade: é boa ou não?;
5. Se as atividades forem de baixa qualidade, quais intervenções a tornariam melhor?
  • Identificar, nos Referenciais Curriculares, as capacidades e os conteúdos e/ou propostas de atividades que dialogam com as atividades analisadas nos livros didáticos.
 8º MOMENTO
*    REALIZAÇÃO DE OFICINA:
  • Responder um bloco de atividades e identificar que descritor/habilidade (segundo a Matriz do SEAPE) a questão exige do leitor;
  • Pesquisar nos Referenciais Curriculares em quais situações de aprendizagem essas habilidades podem ser aprendidas pelos alunos.
*    Socialização das atividades.

9º MOMENTO
Avaliação da Formação.