segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

PROFESSORA SILVIA CIACCI E O PROGRAMA ASAS DA FLORESTANIA



No ano 2005, a Secretaria de Estado de Educação e Esporte do Acre (SEE), em parceria com a Fundação Roberto Marinho, estruturou os módulos do que viria a ser o programa Asas da Florestania. Com financiamento do Banco Mundial, o atendimento inicial foi voltado para 367 alunos de ensino fundamental em sete municípios. Hoje, o programa já está sendo desenvolvido em todas as escolas do município, com oferta ampliada para alunos do ensino médio e, mais recentemente, infantil.

O Asas da Florestania, em suas três modalidades, seguindo as Diretrizes e Referenciais Curriculares Nacionais, trabalha com metodologia e materiais pedagógicos específicos, adequando as aulas e os atendimentos às realidades das comunidades rurais de difícil acesso. Asas da Florestania leva educação às comunidades da zona rural do Acre

Em Tarauacá, o programa é coordenado pelo Núcleo de Estadual de Educação, através da Professora Silvia Ciacci, coordenadora de ensino rural. Em 2012 o programa formou em Tarauacá 96 aluno,s, em 2015, foram 192 e a previsão é formar mais 106 em 2016. 


O programa é desenvolvido nas escolas da zona rural localizadas às margens dos rios Muru e Tarauacá e BR 364. Para isso, conta com uma equipe organizada de coordenadores e professores e mais, uma infra estrutura de 40 barcos e 3 ônibus para o transporte escolar de todos os alunos. Recentemente, o município ganhou reforço de uma caminhonete, mais um barco e uma moto, cedidos pelo governo do Estado e financiados pelo Banco Mundial, um dos principais parceiros do programa, juntamente com a Fundação Roberto Marinho.


"Não é fácil levar educação de qualidade em todas as comunidades de difícil acesso. Necessitamos de uma grande logística para atender as comunidades. Mas no final a gente se sente feliz quando observa o resultado do nosso trabalho", disse Silvia.

A riqueza da diversidade brasileira vem acompanhada de grandes desafios educacionais. Os diferentes contextos sociais do país pedem uma educação que considere os indivíduos e suas realidades. A preocupação por ofertar uma educação que dê conta desta diversidade e que seja de qualidade é central no projeto acreano Asas da Florestania. Marcado por uma variedade de municípios rurais de difícil acesso, o estado tem o desafio de garantir educação à toda a população rural.

Para sanar este cenário, a Secretaria de Estado de Educação e Esporte, em parceria com a Fundação Roberto Marinho, construiu o projeto Asas da Florestania. Estruturada em módulos, de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica e os referenciais curriculares do próprio estado, a iniciativa prevê a abordagem de temas regionalizados para contribuir com a qualidade de vida das pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário