Escolas estaduais estão preparadas para a implementação do Novo Ensino Médio


Da Agência/Acre - O Novo Ensino Médio começa a ser implementado nas escolas públicas e particulares de todo o país este ano, com as primeiras séries. Em 2023, serão incluídas as segundas séries e em 2024 completado o ciclo de implementação nas três séries do ensino médio.

O novo currículo do Acre, que segue as diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi aprovado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) em dezembro de 2021 e tem sido muito comemorado por todos os professores e instituições de ensino que contribuíram com sua construção.

A elaboração do currículo do Novo Ensino Médio foi um trabalho coletivo, que contou com a colaboração dos professores da educação básica das redes públicas e privadas de ensino do estado, além da colaboração das instituições de ensino superior.

As principais mudanças consistem no aumento da carga horária, na adoção de uma base comum curricular, na escolha dos itinerários formativos (pelos quais os alunos poderão escolher caminhos de aprofundamento de estudo, conforme as possibilidades ofertadas pela escola) e no programa Projeto de Vida (relacionado aos talentos e anseios dos estudantes).

O novo sistema também contemplará disciplinas eletivas, que poderão ser escolhidas pelo aluno, voltadas para a formação técnica e profissional e que oferecem aos jovens oportunidades para discutir temas atuais, bem como oportunidades para criar, seja na produção artística ou científica, como na formulação e realização de projetos sociais, entre outras possibilidades.O aluno receberá, além do certificado do ensino médio regular, também o certificado do curso de qualificação profissionalizante. Foto: Mardilson Gomes/SEE

Os itinerários formativos são compostos pela Língua Espanhola, disciplinas eletivas, o Projeto de Vida do estudante e as rotas de aprofundamento. Já no primeiro ano do ensino médio, o estudante terá oportunidade de escolher um itinerário para seguir, a partir do seu projeto pessoal.

As disciplinas dão lugar às áreas de conhecimento: Linguagens e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias ou Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, além da formação técnica e profissional.

Ao fim do ciclo, o aluno receberá, além do certificado do ensino médio regular, também o certificado do curso de qualificação profissionalizante que frequentou.

Segundo a chefe da Divisão de Ensino Médio do Estado, Danielly Matos, a SEE já conta com instituições parceiras para a oferta da educação profissional. “Temos grandes parceiros, como o Ieptec Dom Moacyr, Senai e Ifac”, relata.

A carga horária mínima foi ampliada de 800 para mil horas anuais obrigatórias. Isso significa três mil horas ao longo do ensino médio. Além disso, os estudantes terão que dedicar mais tempo diariamente ao ensino escolar, no mínimo cinco horas. O que já é uma realidade para os estudantes das escolas-piloto.
Projeto de Vida

O maior destaque desse novo formato de ensino é o Projeto de Vida, um componente obrigatório, assim como as eletivas, que serão oferecidas nas escolas para ajudar os estudantes a entender suas aspirações, sob a orientação dos professores, quando se apresentam possibilidades existentes e dúvidas são esclarecidas, sempre respeitando a autonomia do aluno.

O objetivo do Projeto de Vida é provocar o protagonismo e a autonomia do estudante em suas escolhas, estimular o desenvolvimento de habilidades como cooperação, compreensão, domínio de tecnologias, defesa de ideias e análise crítica da realidade.

Preparação

Em 2019, o Acre iniciou uma experiência-piloto em dez escolas estaduais de Rio Branco. Em 2020, acrescentou mais 14, sendo quatro novas escolas em tempo integral. E em 2021 o projeto foi ampliado para 27 escolas urbanas e rurais, também nos municípios. Essas unidades de ensino passaram a incluir em seu currículo as disciplinas eletivas e o Projeto de Vida, componentes já implementados nas escolas de tempo integral.

Ainda em 2019, a SEE começou a ofertar as formações continuadas para os professores, equipes gestoras, coordenadores pedagógicos e coordenadores de núcleos, com foco no currículo do Novo Ensino Médio, trazendo novos componentes para a formação básica, que são os itinerários formativos.

A equipe da SEE realizou escuta pública em 2020 com professores e estudantes das escolas-piloto do Novo Ensino Médio, sobre as Rotas de Aprofundamento do Conhecimento, por videoconferências, além de várias reuniões para apresentar a inovação na arquitetura do novo currículo.

Em 2021 a SEE visitou a Escola Senai para conhecer as instalações, os cursos e a estrutura do sistema educacional da indústria para firmar parceria em torno do Novo Ensino Médio e profissional.

Em 2022, a SEE já iniciou trabalhando a pauta formativa, elaboração de todo o material das formações, pois há a previsão de se ofertar uma grande formação presencial em março, com toda a equipe das escolas e dos núcleos.

“A SEE está em um processo acelerado e bem trabalhado, pensando agora na lotação de professores, planejamento e formação. Os docentes que já estão na rede estão preparados para atender; precisamos focar nos profissionais que estão entrando agora”, explicou a chefe da Divisão de Ensino Médio, Danielly de Matos.

Todo o material das formações realizadas está disponível na plataforma https://www.educ.see.ac.gov.br. Em breve, uma formação de professores estará disponível pela plataforma https://avamec.mec.gov.br, do Ministério da Educação (MEC), que disponibiliza todos os cursos por área, com foco no Novo Ensino Médio, na BNCC e nas habilidades.

Comentários